segunda-feira, 3 de abril de 2017

Novas regras do IMI. Terrenos rústicos serão reavaliados por área e local

Novas regras do IMI. Terrenos rústicos serão reavaliados por área e local

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

2013 – Ano Internacional da Cooperação pela Água...


 A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – UNESCO – lançou no passado dia 18 de Dezembro, a campanha ‘Ano Internacional da Cooperação pela Água 2013’, destinada ao dia e ao Ano Internacional da Água, o qual se comemora no próximo dia 22 de Março.

Com esta iniciativa pretende-se atingir cinco objetivos:

 1.   “Conscientizar sobre a importância, os benefícios e dos desafios da  cooperação em questões relacionadas com a água;
 2.   Gerar conhecimento e costruir capacidades em prol da cooperação pela água;
 3.   Provocar ações concretas e inovadoras em prol da cooperação pela água;
 4.   Fomentar parcerias, diálogo e cooperação pela água como prioridades máximas, mesmo após 2013;
 5.   Fortalecer a cooperação internacional pela água para abrir caminho para os Objectivos e Desenvolvimento Sustentável defendidos por toda a comunidade que trata sobre a água e atendendo às necessidades de todas as sociedades.”

De acordo com a organização, a humanidade nunca poderá prosperar sem a cooperação no manejo da água, “e o desenvolvimento da assistência pelos recusrsos híbridos envolve uma abordagem que reúne fatores e disciplinas culturais, educacionais e cientificas e deve cobrir diversas dimensões: religiosa, ética, social, politica, legal, institucional e económica.”

A cooperação pela água, irá assumir várias formas, desde a parceria por meio de fronteiras para o manejo de aquíferos subterrâneos e bacias fluviais compartilhadas, até ao intercâmbio de dados científicos. Inclui ainda uma parceria numa vila rural para a construção de um poço ou para o fornecimento de água potável através de redes urbanas.

Desta forma, em 2013, o Ano Internacional de Cooperação pela Água, tentará de uma forma ou outra encorajar todos os interessados, sejam estes a nível internacional, nacional ou local, a atuar de acordo com os acessos aos recursos híbridos.